Maíra Rahme

'I see beauty in the small things. The tiny things.'

brand strategist • graphic designer • storyteller

More About Me

Brazilian brand strategist experienced in creative conceptualization and content. Currently pursuing a master's degree in strategic leadership towards sustainability in the beautiful country of Sweden. Passionate about design, storytelling, coffee & tea.

Close

Blog

Previous Next

NATURA FOTOEQUILÍBRIO

Este projeto foi curtinho, mas bem delícia de fazer.

Fotoequilíbrio é a linha de proteção solar da Natura. O mercado brasileiro de proteção solar é o maior do mundo, segundo dados do Euromonitor, e é a categoria que mais cresce no mercado brasileiro de CFT (cosméticos, fragrâncias e higiene pessoal), de acordo com o Sipatesp.

Desde 1989, a Natura já seguia os padrões mundiais da categoria, oferendo alta proteção não só contra raios UV mas também contra os raios UVA. Na época de seu lançamento, em 2000, Fotoequilíbrio era a única linha do Mercado que comprovava e declarava a proteção UVA.

Eis que 12 anos depois, a ANVISA introduziu uma nova legislação que regula o Mercado brasileiro de proteção solar com medidas mais rigorosas*.  Como Fotoequilíbrio já se enquadrava nas novas medidas, para o verão de 2012/13 a Natura quis trazer uma nova linguagem, mais clara e didática, para explicar o que são e o que causam os raios UVA e UVB. Foi a primeira vez que o fator de proteção UVA foi colocado no rótulo frontal da embalagem, juntamente com o fator de proteção UVB.

O trabalho da estratégia neste projeto foi investigar os territórios conceituais da categoria de proteção solar e encontrar uma forma de conscientizar os consumidores de forma clara e eficiente, como fazem os dermocosméticos, e ao mesmo tempo celebrar os prazeres de uma relação saudável com o sol, da maneira como fazem os bronzeadores. Vamos combinar que a embalagem já estava com um shape bem autêntico, e a tampa anti-areia é uma maravilha, então a principal mudança foi feita nos rótulos de toda linha, bem como na linguagem da comunicação nas revistas natura.

Eis o resultado:

* As principais mudanças na legislação desde 2012 são: o FPUVA (Fator de Proteção contra os raios UVA, os quais são responsáveis pelo envelhecimento solar e outros danos irreversíveis à pele) deve ser, no mínimo, 1/3 do FPS (Fator de Proteção Solar contra os raios UVB, que geram as queimaduras solares); o FPS mínimo passa de 2 para 6; são proibidas as expressões “bloqueador” ou “100% de proteção”, pois isto é impossível de ser atingido com protetores solares; e são exigidos testes específicos para comprovar a resistência à água e ao suor. 

BLOCKS

Blocks são barras de frutas secas produzidas sem adição de açúcar nem conservantes, com produtos sazonais, locais e orgânicos. Quando a Flávia me procurou, em 2011, me apaixonei pelo produto. Ele já era bonitinho, quadradinho, delicioso. Mas estava ganhando um novo nome e precisava de uma nova cara. O objetivo era simples: Mostrar que doces podem ser saudáveis, e que pra ser saudável não precisa ser alternativo.

Convidei meu querido amigo Tasso pra entrar nessa comigo, e juntos criamos a identidade e as embalagens de BLOCKS, um snack divertido, feito com muita dedicação com ingredientes de altíssima qualidade.

Seguindo a ideia de módulos e uma paleta de cores bem simples, com uma cor por sabor, criamos uma identidade limpa, simpática e convidativa. Também consideramos que, no futuro, a família de BLOCKS deve crescer, e ganhar mais sabores além dos 9 originais. Com uma linguagem sistemática fica fácil acrescentar novos sabores à cartela, sem alterar a linguagem dos produtos que já existem.

O projeto levou mais de um ano para ficar pronto, mas estamos apaixonados pelo resultado! 

image

image

image

image

image

image

image

image

Para comprar BLOCKS, visite o site: http://blocksbarra.com.br/

Fotos: Luísa Telles http://luisatelles.com/

NATURA AMÓ - novos gestos

Depois do sucesso da linha Natura Amó, fomos convidados a desenvolver o conceito de naming e as embalagens para a extensão da linha em duas fragrâncias, uma feminina e uma masculina. Pensando em amarrar um lançamento no outro e criar uma coerência entre os dois perfumes, apresentamos a ideia de ação e reação, de uma causa e uma consequência, porque assim são os relacionamentos. Com isso, partimos para sessões criativas, buscando nomes que falassem desses gestos e que também conseguissem trazer um elemento mais sensual à linha.

As novas fragrâncias, lançadas no dia dos namorados juntamente com um gel beijável, ganharam o nome de PROVOCA e SUSSURO.

Confira abaixo o vídeo de lançamento:

image

image

image

image

Muhammad Yunus na ESPM

image

 

Ontem tive a oportunidade de assistir ao vivo um dos mais brilhantes homens da atualidade: Muhammad Yunus. Inventor do microcrédito e ganhador do Prêmio Nobel, o economista de Bangladesh falou sobre propósito, mudança, criatividade, felicidade e dinheiro.

A palestra foi a aula inaugural do Social Business Centre da ESPM, escola onde me bacharelei como designer. A grande coincidência é que logo depois de me formar nessa mesma escola, larguei tudo e fui pra Suécia estudar empreendedorismo social, achando que estava abrindo mão do design e trilhando um caminho que me distanciava da disciplina. Depois que voltei ao Brasil, comecei a trabalhar com planejamento estratégico e poucas vezes atuei como designer. Ontem porém, quando um dos maiores empreendedores sociais de todos os tempos subiu ao mesmo palco no qual recebi o meu diploma de design, percebi que na verdade as minhas escolhas convergem para um mesmo objetivo: Usar a minha criatividade solução de problemas da sociedade.

Quando escolhi a minha graduação, era apaixonada por desenho de marcas, frascos, caixas, identidades visuais e afins. Mas, ao longo da minha formação, fui percebendo que a forma de pensar design é muito maior, muito mais ampla e orgânica. O design é a atividade que resolve problemas, encontra alternativas, formula estratégias. No dia da minha colação de grau, a professora Ágata Tinoco fez um discurso muito emocionante, que falava exatamente disso: usem sua criatividade para resolver problemas. 

E a lição não vale só para designers. Cada vez mais vejo publicitários, engenheiros, arquitetos, economistas e outros profissionais se reunindo em torno de causas e participando de projetos que geram impacto positivo na sociedade.  

Palestras como a de ontem são um ponto de encontro para estas pessoas, e Yunus é a prova viva de que esse é um movimento possível e que dá certo! Muito simpático, inspira pela simplicidade, pela honestidade e genialidade. Do topo dos seus 74 anos, Yunus fez piadas com um fundo de verdade, como “temos orgulho em dizer que o Grameen é o primeiro banco livre de advogados no mundo”. 

Anotei as coisas que achei mais interessantes ao longo da palestra, e compartilho com vocês abaixo:


Você não pode simplesmente pegar um modelo de serviço já existente e imitá-lo tornando-o social. Precisamos de um serviço diferente, que vire os modelos existentes de cabeça para baixo, e que usem a tecnologia e criatividade para atingir o maior número de pessoas possível.

Por exemplo: o telefone celular pode fazer maravilhas hoje em dia. Pode me mostrar a temperatura em tempo real em Kosovo, apesar de você nunca ter estado lá. O que o celular não pode, porém, é te dizer a temperatura do teu próprio corpo. Por que isso? Simplesmente porque ele foi pensado, projetado e programado por pessoas que decidiram que seria assim. Então, precisamos pensar em novas tecnologias, usando o que já temos em mãos, para desenvolver soluções voltadas para o ser humano.

COMPARTILHE. SEMPRE. Uma ideia conduz a 10 outras ideias.

Os problemas são globais. Se você pode resolvê-lo no Brasil, você pode resolvê-lo em Bangladesh.

Saiba qual é o seu propósito e defina as métricas: em Negócios Sociais, é importante definir qual será a sua medida de sucesso para que, no futuro, você possa medir o impacto que está criando. Danone, por exemplo, usou a desnutrição como uma métrica, e dentro de sete meses, eles puderam medir o seu impacto pela contagem de quantas crianças estavam agora nutridas.

É muito importante ajudar as pessoas que estão em situações de risco com recursos como o Bolsa Família. Mas temos de ter cuidado para não torná-los dependentes, e continuar trabalhando para chegar a outras ideias que podem ajudá-los a sustentar-se financeiramente de forma independente, para que eles possam sair do programa.

O Brasil é muito socialmente consciente. As pessoas estão dispostas a fazer coisas para os outros, para a comunidade e para a sociedade.

Nós usamos apenas uma PEQUENA PARTE DO NOSSO poder criativo. Então, porque não usar esta pequena parte para resolver problemas?

Você precisa de um processo. Você precisa de uma estrutura. Mas, mais importante, você precisa mudar a mentalidade.

Só porque o sistema funciona de uma certa maneira, isso não significa que essa maneira é o único modo de fazê-lo.

Saiba como eles * fazem. Faça o oposto.
*As empresas tradicionais.

Aprendemos a pensar “como fazer mais dinheiro”, quando o pensamento realmente deve ser: “Como faço para resolver os problemas”. Precisamos fazer negócios sem focar em lucro. Esquecer o que é lucro. Concentrar as forças em resolver os problemas sem se preocupar com o dinheiro.

Dinheiro traz felicidade. Mas fazer outras pessoas felizes, traz felicidade EXTRA. Você sente que fez algo grandioso.

Então, qual é o propósito da vida? Para obter o melhor trabalho?

Levante questões. Se você não levantar uma nova pergunta, como podemos encontrar uma nova solução?

Back to Top

Twitter

Previous Next
Back to Top

Instagram

Previous Next
Load More Photos
Back to Top

Vanity by Pixel Union